From 1 - 10 / 20
  • Categories  

    Índice qualitativo que mede o estado trófico de corpos d’água, no caso a Baía da Ilha Grande/BIG. O estado trófico, ou grau de trofia de um corpo d’água, está relacionado à concentração de nutrientes no ecossistema aquático, especialmente fósforo e nitrogênio, que podem levar a aumentos da produtividade primária nestes ambientes, ocasionando aumento nas concentrações de Clorofila a. I IETC baseia-se na mensuração dos níveis de clorofila – a (g/l) por sensores orbitais de cor do oceano, espacializados em áreas de 4 x 4 km, classificando os resultados nas categorias: oligotrófico, mesotrófico, eutrófico e supereutrófico. Aquisição e tratamento dos dados efetuados por equipe da CERTI (até 2016) e FAO/Inea (2017).

  • Categories  

    Dados de registro da ocorrência das espécies exóticas invasoras Tubastraea coccinea e Tubastraea tagusensis, conhecidas vulgarmente como coral-sol, com base nos monitoramentos efetuados pelo Projeto Coral Sol. Coletas e organização inicial dos dados brutos efetuados pela Equipe do Projeto Coral-sol (BRBIO/UERJ)

  • Categories  

    Esta camada contempla as Usinas Termelétricas presentes no cadastro da ANEEL no território do Rio de Janeiro.

  • Categories  

    Percentuais de ocorrência de organismos bentônicos que geram complexidade estrutural sobre substratos consolidados em costão rochoso, abarcando os ambientes de mesolitoral e infralitoral. Embora a complexidade nos recifes rochosos brasileiros seja majoritariamente gerada pelas características físicas desses ambientes, organismos arborescentes ou lobulares, como Mussismilia hispida e espécies de Macroalgas contribuem para o incremento da complexidade estrutural nestes ecossistemas. Coletas e organização dos dados brutos efetuados pela Equipe CEBIO/UERJ.

  • Categories  

    O referido produto, é uma derivação da Malha Municipal Digital produzida pelo CEPERJ na escala 1:25.000 que determina os municípios defrontantes com o mar e com os sistemas lagunares. A zona costeira do ERJ possui 27 municípios, sendo 25 de frente para o mar e 2 lagunares.

  • Categories  

    Esta camada contempla as Centrais Geradoras Hidrelétricas presentes no cadastro da ANEEL no território do Rio de Janeiro.

  • Categories  

    Valores referentes a Riqueza de Margalef e Densidades de espécies topo-de-cadeia para as comunidades de Peixes Recifais amostradas em 18 pontos da Baía da Ilha Grande. Coletas e digitalização dos Dados executados por CEBIO/UERJ.

  • Categories  

    Dados referentes à balneabilidade das Praias da região da Baía da Ilha Grande/BIG ao longo do período de um ano, com base no percentual de boletins de balneabilidade emitidos pelo Inea com o status “próprio”. Coletas e organização dos dados brutos efetuados pela Equipe Coordenadoria de Monitoramento da Qualidade Ambiental(COQUAM)/DIPOS/Inea.

  • Categories  

    Dados referentes à produção do bivalve Nodipecten nodosus (vieira) - em dúzias/ha/ano - na região da Baía da Ilha Grande / BIG, com base no acompanhamento da produção de 12 fazendas marinhas da região. Coletas e organização dos dados brutos efetuados pela FIPERJ.

  • Categories  

    Os Pontos de Captação de Água do Estado do Rio de Janeiro consistem em 199 captações em corpos hídricos superficiais que, através de sistemas isolados ou integrados, constituem mananciais estratégicos para o abastecimento das 92 sedes do Estado do Rio de Janeiro e atendem cerca de 94% da população fluminense. O levantamento e a determinação da localização dos pontos de captação de água foram feitos segundo as seguintes fontes: Shape dos pontos de captação de todo o ERJ produzido pela Fundação COPPETEC para o PERHI; Tabela 1 em Anexo no Relatório PERHI-RE-08-REV-2-FINAL do PERHI;Planos Municipais de Saneamento Básico (PMSB) dos Municípios publicados até dez/2015; Atlas de Abastecimento Humano de Água da AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS; Declarações no CNARH para algumas concessionárias de abastecimento público de água;Informações diretamente fornecidas por algumas Concessionárias de Abastecimento Público de Água e Serviços de Abastecimento de Prefeituras; Determinação “in loco” das coordenadas dos pontos de captação pelo uso de equipamento GPS em vistoria direta ao manancial investigado. Utilizou-se o programa Google Earth Pro (versão 7.1.2.2041) para executar a tarefa de validação dos pontos de captação cujas coordenadas estão descritas ou tabeladas nas fontes acima referidas, dando origem a diferenciação de pontos somente indicados e pontos de fato validados. A tabela do shape contém em cada linha a seguinte sequência de informações: AIPM_RH: Número inequívoco do ponto de captação formado pela justaposição de um número em algarismo arábico com o número da Região Hidrográfica em algarismo romano ligado pelo símbolo ( _ ) (underline). A ordem de numeração não seguia critério rígido, porém, sempre que possível, os mananciais eram numerados em ordem de importância quanto à quantidade de população atendida. MUN_ABAST: Nome dos Municípios atendidos por aquele ponto; NOME_IBGE: Nome do corpo hídrico (manancial) ao qual pertence o ponto conforme a Base do IBGE e a denominação local entre parênteses quando esta era referência nas fontes de dados; MUN_CAPTA: Nome do Município base do ponto de captação. Informação necessária porque vários municípios recebem água captada no território de outro município vizinho ou mais distante; NOME_SISTE: Nome do Sistema de captação. Informação que auxiliou no entendimento quanto à distribuição espacial dos pontos de captação em relação a ETA; TIPO_SISTE: Tipo de Sistema. Quando a captação atender um único município é denominado isolado, se atender mais de um município é denominado integrado; LOCAL_ATEND: Local atendido. Para identificar se o ponto de captação abastece uma sede de município ou distrito independente; OPERADOR: Operador do sistema de abastecimento; LAT E LONG: Coordenadas dos pontos de captação.